Quem Somos

O Hospital de Olhos Dr. Ricardo Guimarães  é um centro especializado em oftalmologia, reconhecido internacionalmente pela excelência no tratamento dos distúrbios da visão e por aliar tecnologia de ponta à humanização no atendimento de pacientes. Uma instituição compromissada com valores éticos, inovação e tecnologia, promoção da qualidade de vida, respeito ao ser humano, satisfação de seus pacientes e responsabilidade social.

São mais de 30 anos de dedicação e trabalho para disponibilizar o que há de mais avançado e seguro em medicina oftalmológica. A instituição conta com uma equipe profissional preparada e atualizada para oferecer diagnósticos, tratamentos e reabilitação visual, sempre com ética e respeito ao paciente.

Consciente do papel que as organizações devem possuir na sociedade, o Hospital de Olhos ressalta sua postura de responsabilidade social com a criação da Fundação Hospital de Olhos (FHO) em 1986. O objetivo inicial foi criar um Banco de Olhos e prestar assistência médico-oftalmológica às pessoas carentes levando conhecimento e capacitando diversos municípios mineiros a elaborarem projetos sociais.

Desde então, a FHO investe em educação, pesquisa e capacitação profissional criando diversas ações sociais que usam conceitos como participação privada, voluntariado e auto-sustentabilidade para incluir o máximo de parceiros no desenvolvimento desses projetos. Organizações como Lions Club, Rotary e Maçons sempre foram envolvidas uma vez que, a participação da comunidade local, em ações sociais, legitima os programas e cria um vínculo cultural/educacional com as atividades planejadas.

No mundo atual, onde conhecimento e aprendizado constantes passaram de mero diferencial competitivo e transformaram-se em requisitos mínimos para uma vida de sucesso pessoal e profissional, há um grande número de pessoas que não consegue atingir seu potencial máximo nas atividades que desempenham.

Um dos fatores que pode impedir a maximização desses resultados está diretamente relacionado às dificuldades de leitura e absorção de informações apresentadas por alguns indivíduos. Tais dificuldades de percepção começam a trazer prejuízos desde os primeiros anos escolares e permanecem durante toda a vida profissional, reduzindo o potencial de aprendizado e de produtividade. Independente da idade, nível de inteligência, acuidade visual normal ou corrigida, a leitura e o aprendizado podem ser árduas tarefas, gerando baixo rendimento escolar e profissional. Isto porque para ter uma boa visão é necessário além de olhos sadios, um perfeito processamento neurovisual.

Mais do que apenas responsáveis por notas baixas e reprovações contínuas, as dificuldades de aprendizagem vivenciadas por crianças e jovens são responsáveis pelo desenvolvimento de uma baixa auto-estima, o que pode levar a transtornos emocionais, manifestados como alterações do comportamento e outros desajustes. O custo disso para a sociedade é considerável, estando incluídos: as dificuldades de relacionamento, subemprego, desemprego e, conseqüentemente, elevação do risco de conduta anti-social e infrações às leis, o que acarreta sérios problemas, não só para o indivíduo diretamente envolvido nessa situação, mas para a sociedade, em geral.

As estatísticas mundiais sobre o impacto dos transtornos causados pelas dificuldades de aprendizagem no desajuste na vida social são bastante preocupantes e o prognóstico do seu desconhecimento por parte de educadores e autoridades é extremamente negativo. Por sua vez, o Ministério da Educação e o Ministério da Saúde estimam os deficientes visuais na escola em 30% e somado a essa porcentagem as estatísticas internacionais reportam uma incidência adicional de 15% de distúrbios de aprendizagem relacionados à visão.

Índices de sobremaneira alarmantes, de grande impacto nas altas taxas de evasão escolar, impulsionaram a Fundação Hospital de Olhos na busca de uma solução, que trabalha há mais de 28 anos em projetos de pesquisa, educação profissional e promoção da saúde. Seus focos principais são a pesquisa, educação e cuidado de todos os aspectos da Visão e da Aprendizagem.

Nos últimos sete anos a Fundação se dedicou promover o conhecimento para identificação e tratamento de um distúrbio de aprendizagem relacionado à visão, uma disfunção do sistema visual, que afeta aproximadamente 12% das crianças em idade escolar.

Nosso maior objetivo é levar conhecimento a respeito da Neurovisão, dos déficits de aprendizagem relacionados à visão e demais questões correlacionadas, como o impacto desses na vida acadêmica, social e laboral, bem como os tratamentos disponíveis.