Dra. Márcia Guimarães

Médica Oftalmologista com Doutorado em Qualidade de Visão e Visão de Cores pela UFMG com 3 anos de Pós Graduação na França, Inglaterra e Estados Unidos.

Participação em vários cursos de Pós-Graduação como Professora Assistente, Adjunta e Docente Convidada da UFMG, UNIFESP, USP, entre outras dedica-se à clinica e pesquisa em oftalmologia clínica e distúrbios de aprendizado relacionados à Visão.

Sua experiência como mãe, professora e médica proporcionou-lhe uma visão dos impactos acadêmico, emocional e social de crianças e adultos com dificuldades visuais e cognitivas e as repercussões familiares destes problemas.

Ao observar indivíduos com capacidade verbal e audiológica inquestionáveis e exame oftalmológico aparentemente normal obtendo resultados escolares e profissionais muito aquém de seu potencial intelectual e esforço despendidos passou a investigar os distúrbios de aprendizado .

Em seu trabalho pela Fundação Hospital de Olhos, associando técnicas e exames na análise das relações oculomotoras e a percepção em uma abordagem MULTIDISCIPLINAR contando sempre com o apoio de profissionais de áreas afins como psicólogos, pedagogos, psicopedagogos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais e neuropediatras tem observado melhoras significativas destes pacientes. As melhoras no desempenho escolar, pessoal e profissional a estimularam à divulgação da técnica e dos resultados oferecendo o I Curso Internacional de Dislexia de Leitura com a presença, pela primeira vez no Brasil da Dra. Helen Irlen. A habilitação de novos profissionais tem por objetivo beneficiar um maior número de pessoas com dificuldades de aprendizado relacionadas à leitura por alterações nos componentes visuo cognitivos.

O Método Irlen Embora desconhecido no Brasil, o Método Irlen é aplicado em larga escala em mais de 34 países e conta com mais de 9000 profissionais utilizando esta técnica com o objetivo de remediar os sintomas associados à Dislexia de Leitura. Em muitos países, como Austrália, Inglaterra e vários estados americanos o Método Irlen foi adotado como referência diagnóstica na abordagem integrada de estudantes e adultos com atraso no desenvolvimento escolar e dificuldades profissionais.

Estima-se que entre os disléxicos, a Síndrome de Irlen tem uma incidência de 46% e na população em geral , sem queixas específicas o percentual é de 12 a 14% atingindo indivíduos que, embora evitem atividades relacionadas à leitura e escrita tem na fadiga visual, baixa visão de profundidade , fotofobia, desconforto ao uso de computador, omissão de palavras e linhas de texto, inversão de sílabas, distração e sonolência como algumas de suas queixas principais.

No Hospital de Olhos Dr. Ricardo Guimarães o Método Irlen, que utiliza filtros de absorção seletiva para controle das distorções visuoespaciais é precedido de ampla avaliação oftalmológica visando excluir patologias visuais na área oculomotora e intraocular. Nos casos onde as dificuldades se acompanham de alterações oftalmológicas ou associações com quadros neuropsicológicos, clínicos, medicamentosos etc abordagem interespecialidades é automaticamente incorporada na condução do caso.