É PRECISO LEVAR O CONHECIMENTO DA NEUROVISÃO PARA PROFISSIONAIS QUE PODEM TRANSFORMAR VIDAS

O 35º Curso DARV – Distúrbios de Aprendizagem Relacionados à Visão – acontece em Belo Horizonte, em maio de 2020. O curso reúne profissionais das áreas de saúde e educação, com o objetivo de capacitá-los sobre os distúrbios neurovisuais relacionados à aprendizagem, para que esses profissionais possam ajudar cada vez mais pessoas.

Esses distúrbios fazem parte dos estudos da Neurovisão, que analisa o processamento das informações captadas pelos nossos olhos. Aqui compreedemos que, para ter uma boa visão é necessário ir além de olhos sadios. É preciso ter um processamento neurovisual perfeito.

O trajeto que a luz toma para resultar naquilo que enxergamos vai muito além das estruturas físicas dos olhos. A luz também passa por caminhos no cérebro, onde são processadas informações relacionadas ao contraste, cor, movimento, direcionamento, texturas, tridimensionalidade, contextualização, memorização. E é nesse momento que entram os estudos e análises da Neurovisão.

Durante o processamento visual, podem acontecer ruídos na transmissão das informações – no caminho entre o olho e o cérebro. Quando isso acontece, percebe-se alterações no sistema visual, ou seja, naquilo que é enxergado.

Dores de cabeça frequentes, sensibilidade à luz, enjoos durante viagens de carro, dificuldade na manutenção do foco, movimentação das letras e dificuldade durante a leitura estão entre os principais sintomas.

A Síndrome de Irlen (SI) é um destes distúrbios neurovisuais que abordaremos durante o 35º DARV. Trata-se de uma alteração visuoperceptual, causada por um desequilíbrio da capacidade de adaptação à luz que produz alterações no córtex visual e déficits na leitura. A prevalência da SI é alta, pois atinge de 12-14% da população em geral, incluindo bons leitores e universitários.

A falta de conhecimento dificulta o diagnóstico e, com isso, a vida dos portadores da disfunção. O conhecimento transmitido durante o curso, contribui para a expansão do campo da Neurovisão, melhorando com isso a vida dos portadores dos distúrbios relacionados à visão.

Mais de 6.000 profissionais da saúde e da educação, em 26 Estados brasileiros e o Distrito Federal, já foram capacitados pela Fundação Hospital de Olhos. Juntos, vamos ajudar mais crianças e adultos brasileiros a ver e ler melhor. Faça parte dessa rede multidisciplinar.